quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A long time ago - há muito tempo



Caminhando com o meu pai pela Boulevard Braguinha na cidade de Sorocaba em algum dia de dezembro de 1982, com muitas pessoas subindo e descendo procurando artigos e presentes, em certo momento ele me pergunta;
- o que você quer de presente de Natal?
Prontamente eu respondo;
- quero um disco! (LP de vinil)
Então entramos em uma loja de discos musicais chamada Paka’Som. Entre tantos títulos eu escolho;
“20 Greatest Hits – The Beatles”.
Com muita alegria e satisfação escutei esse disco centenas de vezes, porém a primeira vez foi na companhia do meu pai que a cada canção fazia um comentário tipo;
- essa foi trilha do filme com o mesmo nome da música: Help!
Hoje (dia 23 de janeiro de 2014) coloquei o disco para escutar depois de muitos anos.
Fiquei emocionado em ouvir, recordar desse momento incrível e principalmente por lembrar a ordem sequencial das musicas, acabava uma e já cantava o inicio da outra;
- puta que pariu! Que memória!

Há trinta e dois anos atrás!



quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Nascer para a Eternidade

                                      Terça-feira dia 08 de janeiro de 1935

               Ninguém poderia imaginar que aquele bebê que acabou de nascer seria lembrado eternamente pelo seu dom de cantar e carisma.
               Hoje faz 79 anos que o menino pobre chegou para esse mundo deixando a sua imagem e talento para as gerações futuras.
               Na minha opinião Elvis Presley será lembrado futuramente, isto é, daqui a cem anos como Mozart ou Beethoven ou ainda como o grande Caruso.
               O seu estilo vocal, o seu repertório, a sua imagem através do penteado, as costeletas, os macacões, ficarão para sempre como uma marca registrada na qual teve a sua originalidade com ele e para o futuro só poderão ser "copiados".
               Agradeço Elvis e o seu dom musical.
               Mas principalmente agradeço a Deus não somente por ter colocado Elvis no meu caminho e sim por ter me dado a inteligência suficiente para perceber, admirar e reconhecer a obra deste magnifico artista.
               Peço para Deus dar-me muita saúde, pois assim vou poder continuar levando por mais alguns anos a alegria e o bom gosto musical através dos sucessos que Elvis deixou.
               Por enquanto estaremos separados fisicamente, porém sempre unidos em uma única paixão;
CANTAR!
                                                Parabéns Elvis por mais um ano de vida Eterna!




domingo, 3 de novembro de 2013

Fundamental



               Estou aqui através dessas linhas mais uma vez para agradecer o respeito, o carinho e o prestigio das pessoas que acompanham a minha carreira.
               Acredito que um artista por mais talentoso que ele seja jamais será reconhecido se não houver a admiração e o apoio do público e para isso o fator mais importante é o respeito recíproco.
               Alguns dias atrás fui assistir um jogo de futebol pelo time que torço desde pequeno. Coloquei algumas fotos no Facebook e fui alvo de piadinhas e "brincadeirinhas" de algumas pessoas que não me conhecem.
               Jamais fiz comentários ofendendo torcedores de outros times de futebol. Acredito que cada um tem a liberdade de escolher o próprio time do coração e tem como obrigação respeitar a escolha dos outros.
               Deixo bem claro que não tenho investimentos econômicos com o meu time de futebol, aliás muito pelo contrario, não ganho nada e sim às vezes até gasto, portanto se o meu time é campeão ou não, é somente uma satisfação temporária e nada mais.
               Gosto de futebol de modo geral, às vezes assisto jogo só pelo prazer de ver lances e gols.
               Respeito quem é "fanático" e "vive" pelo time, pois cada um como já disse é livre de escolher a sua própria maneira de viver, porém não tolero a falta de respeito.
               Enfim se eu torço pelo Santos, São Bento, Palmeiras, Corinthians, Fluminense, São Paulo, Grêmio, Flamengo ...  sou somente mais um torcedor e nada mais.
              Muito obrigado e viva a Paz no esporte.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Rótulo


"Rótulo"
Por que as pessoas precisam?
Não é a primeira vez e tão pouco será a última que escrevo sobre este tema.
Se canto, se uso roupas, se o penteado é parecido, se as costeletas são grandes, é porque em primeiro lugar sou fã do Elvis Presley.
Nunca pretendi ser "Elvis" ou ser "igualzinho".
Tento fazer o melhor possível para imitá-lo e representa-lo com muito amor, dedicação e respeito.
Jamais julguei o "Homem Elvis", porém o "Artista Elvis" é a lenda viva, o fenômeno de vendas de discos e indiscutivelmente o artista mais completo que o mundo já viu: voz, aparência, originalidade, autenticidade, atitude, talento puro.
O melhor Elvis Cover na minha opinião NÃO EXISTE e jamais poderá existir, pois todos são imitadores do original. Por esse motivo a cada ano temos um vencedor do concurso oficial.
É impossível imitar todos os detalhes (voz, olhos, boca, nariz, mãos, pernas, etc.) Elvis foi um ser humano e não uma maquina quadrada ou um objeto.
Com certeza alguns Elvis Covers aproximam-se muito do timbre de voz ou aparência, mas isso depende da opinião de cada pessoa.
Se sou melhor ou pior que outro imitador (Cover) pouco me importa, esse "rótulo" não me interessa.
Sou um fã declarado, amo de paixão imensa tudo que é relacionado ao Elvis (músicas, instrumentos musicais, roupas, acessórios, etc.), considero ele como um irmão mais velho que me ensinou a viver da música e que infelizmente já morreu deixando um belo exemplo;
HUMILDADE.
Muito obrigado Elvis por existir, você será sempre vivo no meu coração!


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Elvis Presley Acústico - Elvis Unplugged

De volta para as raízes, como tudo começou.

           É com muita alegria e entusiasmo que depois de treze anos de carreira como Elvis Cover que apresento-me do jeito que tudo começou, isto é, com apenas um violão e a minha voz.
          Quando me tornei fã do Elvis, isso em 1985, o único acompanhamento instrumental era feito "ao vivo e a cores", com um instrumento de verdade, violão, piano ou teclado, não existia play-back (karaokê).
          A minha vontade de cantar era tão grande que resolvi fazer um curso de violão. Na minha casa (morava com os meus pais) haviam dois violões, ambos do meu saudoso pai que já tocava e cantava.
          A primeira música que aprendi a tocar foi "You've Got To Hide Your Love Away" dos The Beatles, a segunda foi "Johnny B. Goode" do Chuck Berry também gravada pelo Elvis.
          Na época que aprendi a tocar violão as bancas de jornal vendiam as "revistinhas" com letras e cifras (notas musicais para violão e guitarra), então eu procurava encontrar as canções do Elvis e quando não achava, procurava pelo menos as letras e o meu professor de violão "tirava" de ouvido as notas.
          Dependendo da canção a dificuldade era muito grande, pois para achar a letra às vezes era necessário antes encontrar o disco (L.P.) com um encarte contendo os textos e depois levar para alguém (no meu caso o professor) muito bom de ouvido para cifrar a música.
          Hoje em dia quando alguém quer encontrar um texto com cifras é só clicar no Google e tchan! Está feito.
          Pois bem, com as "revistinhas" e as músicas cifradas eu passava horas e horas no meu quarto arrumando as letras, pois muitas vezes o que o Elvis cantava não "batia" com o texto e o tom também às vezes era diferente.
         Depois de arrumar letra e música eu pegava a velha máquina de escrever do meu avô, uma Remington Portátil e passava tudo a limpo. E então só depois eu tocava e cantava.
         Ah, belos tempos! Era bem difícil e dava trabalho porém o resultado era satisfatório.
         Quando fui morar na Itália em 1992 encontrei pela primeira vez em uma loja de discos algumas canções do Elvis com acompanhamento instrumental (karaokê) em uma fita cassete para comprar. Depois apareceram os cds, etc.
         Com tudo apesar dos play-backs eu nunca abandonei o velho estilo, na minha casa sempre cantei tocando o meu violão ou guitarra. Isso ajuda a decorar a letra e a estudar a vocalização.
         É claro que para realizar um show tipo Elvis a necessidade do play-back é fundamental, pois a grandiosidade da orquestra que acompanhava o Rei do Rock and Roll em seus concertos ao vivo com coral, metais, cordas, etc, é impossível de reproduzir com um "violãozinho" somente.
         De outro lado porém, somente o violão e a voz resgata um maior valor artístico, onde o musico consegue demonstrar o seu talento e naturalmente as canções apresentam-se com uma nova "roupagem", nova versão.
         Na terça-feira dia 10 de setembro de 2013 fiz a minha primeira apresentação "acústica". Foi tão bom que o local (Costelaria Berlin Sorocaba) convidou-me para realizar uma vez por semana (terça-feira).
         Ainda estou formatando as apresentações, colocando a cada semana novas canções e avaliando a funcionalidade do repertório. Vou adicionando as músicas conforme os pedidos do público.
         Fiquei muito feliz e com esse sentimento nostálgico de como tudo começou.
         Espero que as pessoas gostem deste outro perfil no meu trabalho como Elvis Cover.

Estarei aguardando a presença de todos.

As primeiras "revistinhas" e no centro um livro oficial dos maiores sucessos do Elvis.

Livros com partituras de muitas canções.

A velha máquina de escrever, companheira de muitas horas.

Texto cifrado preparado com a máquina de escrever

O primeiro contato com play-back.
Em fita cassete.


Primeira apresentação "Elvis Acústico".
Terça-feira 10 de setembro de 2013.


domingo, 14 de julho de 2013

Rock and Roll Day 2013 Sarapuí - SP 2013

Quando a boa vontade supera as dificuldades

Em tempos de indignações e manifestações pela situação geral do Brasil, principalmente pela falta de competência, civismo e cumprimento do dever por parte dos governantes, Graças ao Bom Deus ainda temos algumas exceções.
É o caso do Prefeito Fábio da cidade de Sarapuí - SP, que administrando uma comunidade com pouco mais de nove mil habitantes demostrou qual é a verdadeira função do governo;
 Servir da melhor maneira possível a população.
Sensibilizado pela atual lamentável condição da cultura musical, decidiu levar para a sua cidade um evento de magnitude histórica, isto é, apresentar para as pessoas as raízes do Rock and Roll, colocando em praça pública as canções dos The Beatles & Elvis Presley.
Em um momento de sucessos comerciais descartáveis e passageiros, verdadeiros produtos de baixa qualidade, onde o talento é substituído por agressões auditivas (palavrões, apologia ao crime e a violência), as pessoas de Sarapuí tiveram acesso há um pouco das canções que mudaram o mundo para melhor, com mensagens de amor e alegria.
A noite do sábado dia 13 de julho de 2013 em Sarapuí estava relativamente fria, mas também agradável graças há um dia inteiro de sol que com o seu calor encheu de energia os músicos para o show de logo mais.
Os integrantes da Rock Elvis 69 Band chegaram à cidade recepcionados pelo amigo e anfitrião Sérgio Barra que com muito zelo acompanhou a “caravana” até o local do evento.
Na praça central onde a estrutura estava montada já constatamos na passagem do som que a noite prometia ótima qualidade técnica. Uma curiosidade foi o momento em que os guitarristas Danilo e Felipe Caramez “jogaram” joquempô ou jaquempô – pedra, papel e tesoura, jogo japonês tipo par ou impar mais elaborado, para decidir quem usaria o amplificador Marshall. Ah, o perdedor tocaria em um amplificador Fender!
Em seguida a banda Velha Cotação chegou para montar os instrumentos e em breve tempo começar o Show Tributo aos Beatles, por volta das 22 horas.
Depois de “produzido” e vestido como Elvis Presley, fiquei dentro do meu carro estacionado próximo da praça ouvindo as canções do evento.
Quando a banda Velha Cotação terminou o show, a minha esposa Tânia chamou-me para ir ao camarim atrás do palco. Enquanto isso os “Brothers” da Rock Elvis posicionavam, regulavam e testavam o som mais uma vez antes no inicio do show.
No camarim o meu irmão Adauto coordenava os detalhes da minha entrada e Tânia preparava o palco com água, toalha e posicionamento do pedestal.
 Após a execução de um breve blues instrumental para “aquecer” os instrumentos o anunciador “Sorriso” (apelido) com belas palavras iniciava a apresentação da banda e descrevia com detalhes um pouco da história do Rock and Roll e do cantor Elvis Presley, isso já com a execução do imponente “Also Sprach Zarathustra” ao fundo (tema da abertura dos shows do Elvis nos anos 70).
Como sempre ao ouvir a introdução do show o meu coração quase explode de emoção, passando pela minha mente milhões de pensamentos que me bombardeiam de energia positiva para subir ao palco sob a áurea do meu ídolo: Elvis Presley.
A banda “arrebentando tudo” com o ritmo frenético da bateria tocada otimamente pelo Pedro Lopizi, que curiosamente após o show me contou que tinha tanta fumaça no inicio, que não conseguia ver o próprio instrumento, executando a abertura instintivamente!
Já no palco ao som da música, dos aplausos e gritos do público que transmitiam alegria e emoção a me ver, me sinto muito próximo daquilo que provava Elvis ao entrar em seus shows; essa experiência nenhum cartão de crédito consegue comprar!
Com o som impecável o show flui com muita perfeição. A participação do público faz a diferença com gritos histéricos, risos e aplausos.
André Caramez canta duas canções do quarteto de Liverpool – The Beatles, homenageando assim a maior banda de Rock de todos os tempos, destacando os solos da guitarra “nervosa” do Felipe.
O responsável e técnico do som e luz, Marcelo pede uma canção: “Polk Salad Annie”. Na qual Thiago no baixo faz um solo tipo Jerry Scheff em Elvis on Tour.
Quase no final do show convido para subir no palco o garoto guitarrista Pedro Barra, que faz a introdução e a execução de “Kiss Me Quick” para o delírio de seus conterrâneos. Pedro toca também “Suspicious Minds”, na qual o baterista P. Lopizi “destrói” tudo!
Antes de cantar a última canção do show o guitarrista Danilo pede para tocarmos um blues, no qual como todo “blues-man” faz o seu instrumento “chorar” de tristeza, a essência do Rock and Roll – Blues!
Agradeço a presença, o respeito e o carinho do público para fechar a mágica noite do Dia Mundial do Rock and Roll em Sarapuí – SP – Brasil.
Agradeço a Deus por mais um momento maravilhoso na minha vida!

Set List - Rock Elvis 69 Band
.Rock and Roll Day 2013 – Sarapuí - SP.                                        

Also Sprach Zarathustra
See See Rider
Proud Mary
All Shook Up
Heartbreak Hotel
Blue Suede Shoes
Don't Be Cruel
Jailhose Rock
One Night
Johnny B. Goode
Hound Dog
Baby, What You Want Me To Do
Something - Vocal André Caramez
That’s All Right Mama - Tom: Lá maior
While My Guitar Gently Weeps - Vocal André Caramez
Love Me Tender
Tutti-Frutti
Johnny B. Goode - bis
Polk Salad Annie
Kiss Me Quick
Suspicious Minds
Stemroller Blues
Can’t Help Falling in Love - (encerramento - riff Elvis)











segunda-feira, 1 de julho de 2013

O melhor pagamento vem do "coração"!

Levar alegria e diversão para as pessoas através da música do meu ídolo é quase indescritível, tamanha a minha satisfação e contentamento.
Muitas pessoas sabem que o meu comportamento já demonstra o meu amor profundo por aquilo que faço, pois uma vez confirmada a minha presença no evento (beneficente ou não), haja o que houver estarei sempre honrando a minha palavra.
Vivo da música. Pago as minhas contas e adquiro o pão de cada dia através do dinheiro que recebo das minhas apresentações. Porém muitas vezes o melhor pagamento é um sorriso alegre e sincero de alguém que não há muitos pertences materiais.
É por isso que acredito que o melhor evento beneficente é aquele no qual estou em contato direto com as pessoas menos favorecidas.
Penso que fundos econômicos e estrutura é o governo que deve dar ao povo.
Logo abaixo estão algumas imagens feitas em um momento de emoção no Asilo - Lar São Vicente de Paulo em Sorocaba - SP









quarta-feira, 22 de maio de 2013

São Paulo Elvis Festival 2013


Alguns dias depois que o Festival Elvis acabou, em eventos que cantei ou até pelas ruas de Sorocaba as pessoas fizeram-me a seguinte pergunta:
- Você participou do concurso Elvis em São Paulo? Ganhou? E aí?Como foi?
Evidentemente a minha resposta é curta e objetiva para não criar polemica e não prolongar a conversa;
- Participei, gostei muito, mas não ganhei. O vencedor é de Porto Alegre, é muito bom.
Porém aqui no meu site, posso escrever com maiores detalhes como foi a minha participação e a minha opinião pessoal sobre o evento.

Infelizmente no dia 1º de maio, isto é, o dia da minha participação, comecei a sentir os primeiros sintomas de uma super gripe que estava chegando, mas que não atrapalhou a minha performance.
Quando cheguei no local para participar do Gospel as informações foram desencontradas, levei o play-back para o técnico do som e somente atrás do palco descobri que era a produção americana que tinha que conferir a música e analisar se o acompanhamento realmente não tinha a voz original do Elvis.
O meu CD não tocou e graças ao amigo Gilson Victor encontrei um computador e um CD virgem para gravar do meu Pen drive o play-back que finalmente tocou.
Cantei com muita emoção "I Believe" e não sei como foi, pois ainda não assisti a minha apresentação. Quem viu falou que fui bem - I believe (Eu acredito).
Di Presley
Elvinho
Após o Gospel por volta das 19h00 os candidatos do Festival deveriam estar prontos. Devido ao grande número de "Elvis Covers" (vinte), preferi vestir-me e arrumar-me no banheiro do público e não no camarim.
Logo pronto, isto é, vestido com a jumpsuit (macacão) White Tapestry, usado por Elvis em fevereiro de 1970, fui logo atrás do palco para confirmar a minha participação e encontrei os meus amigos Di Presley e Elvinho. Confessei para eles que a minha torcida era para ambos, não importando o vencedor (acertei em cheio sobre os melhores, afinal os dois ficaram em 1º e 2º lugar!).
Dalizio Moura vestindo a réplica do macacão
Elvis Presley em fevereiro de 1970 - Las Vegas
Atrás do palco todos os participantes na penumbra esperando a sua vez. Eu fui o número sete. A emoção tomou conta de mim quando o primeiro candidato que era o Elvinho entrou no palco. Agradeci a Deus com lágrimas nos meus olhos por estar ali naquele momento, provando aquela alegria.
Sempre quando canto, escutando as músicas que o Elvis gravou, eu sinto uma força incrível que não faz parte deste mundo, e no Festival foi ainda maior, ele estava lá!
A cada candidato que terminava a apresentação o meu coração acelerava mais, adrenalina pura!
Quando chegou a minha vez, o apresentador falou o meu nome e a banda do Morris Britt "atacou" a introdução de "Blue Suede Shoes", perdi o controle... e então quem entra no palco é o fã Dalizio Moura, cheio de energia e vontade de cantar e agitar (como sempre!).
Se você analisar o vídeo, poderá ver que o estilo de cantar, dançar e movimentar lembra de longe o Elvis, pois a apresentação foi muito Dalizio e pouco Elvis.
A empolgação foi tão grande, pois adoro cantar, ainda mais com uma banda "especializada" em músicas do Elvis, que esqueci de pelo menos tentar imitar os trejeitos do Elvis!
Dalizio Moura com a Morris Britt Band
Quando voltei para atrás do palco, todos os candidatos que não me viram mas ouviram somente, me deram os parabéns. Acredito que a minha voz emocionada e feliz foi legal, o maior problema foi a parte visual "performática Elvis".
De qualquer forma fiquei muito feliz em participar e futuramente se houver outro Festival voltarei mais focado na imitação "clonática", preciso controlar a minha energia, rsrs.
São Paulo Elvis Festival 2013

 O evento foi maravilhoso, em um ótimo local, com ótimas estruturas, qualidade de som  impecável, porém o público não prestigiou como devia. Não vou criar polemica sobre forma de divulgação, de pagamento, preços, etc. Isso são informações que deverão ser estudadas e corrigidas pelos organizadores se ainda existe o desejo de realizar outro Festival assim no Brasil (espero).
É claro que o último dia foi o melhor de todos. Apesar de não estar classificado para a final, fui como fã do Elvis para prestigiar os amigos candidatos, assistir os shows dos americanos que foram ótimos e ganhar a medalha de participação, afinal agora sou oficialmente um ETA (Elvis Tribute Artist).
Dalizio Moura assistindo a apresentação do Di Presley

Elvinho em ação!

Vinicius Rodrigues o Sorocabano que ficou entre os melhores da América Latina - o melhor Elvis 50's & 60's

Gilson Victor foi também um dos melhores, show!

O americano representando Elvis dos anos 50, bom demais!

Dalizio Moura com o ótimo Dwight Icenhower, canta muito!

              No final do Festival a cidade de Sorocaba e região contou com a participação do Vinicius Rodrigues que cantou entre três músicas "If I Can Dream", que foi sem dúvida um dos destaques do evento.

Precisamos lembrar que o evento foi realizado graças aos esforços da Maria Klein que após alguns anos trouxe para o Brasil esse grande evento.
Deixo aqui publicamente o meu muito obrigado.
Da esquerda para a direita; Vinicius, Elvinho, Maria Klein, Dalizio Moura e Gilson.

Agradecemos ainda o amigo Marcelo Neves do site Elvis Triunfal que deu total apoio para o evento, divulgando e esclarecendo muitas informações.

Lembrando que tudo foi feito pelo amor ao Eterno Rei da música Pop
Elvis A. Presley

Agora assista a apresentação do Dalizio Moura cantando Blue Suede Shoes e My Way


segunda-feira, 13 de maio de 2013

Elvis Gospel Celebration 2013 - imagens

O site Programa Integração Digital esteve no evento e registrou as imagens do evento.

http://programaintegracaodigital.blogspot.com.br/2013/05/elvis-presley-gospel-na-voz-de-dalizio.html